domingo, 8 de agosto de 2010

Em termos de educação: Os pais são e sempre serão os responsáveis pela educação das crianças.

O psicólogo inglês Steve Biddulph, um dos mais requisitados especialistas em educação de crianças, fez a seguinte declaração:

“Esta é, com certeza, a geração mais abandonada de todos os tempos. Pesquisas feitas na Inglaterra mostram que os pais passam apenas seis minutos proveitosos com seus filhos por dia. Não basta dar comida, presentes, sentar em frente da televisão e esperar que seu filho tenha um comportamento exemplar”.

(Revista Veja. Ed. Abril, 21 de julho, 2004).

Quem são os responsáveis pela educação, senão os pais. A sociedade moderna diria que a escola é responsável, a mãe que trabalha o dia todo diria que a responsabilidade é da vovó ou da babá, o pai ausente diria que a responsabilidade é sempre da mãe, e nessa guerra as crianças estão sendo educadas pela televisão e internet.

Existe hoje uma grande transferência de responsabilidades com relação a educação das crianças e adolescentes, os pais transferem para os professores esta responsabilidade. Há uma expectativa enorme da sociedade em relação à escola, para muitos pais, é responsabilidade da escola a formação moral e ética do aluno. A escola que deveria ser um apoio para os pais na formação do ser humano acabou tomando o lugar deles.

Este pensamento pós-moderno contraria claramente o que a Palavra de Deus nos ensina com relação a educação dos filhos. A educação moral e cristã já virou função da igreja, pais cristãos levam as crianças para as classes da Escola Bíblica a fim de descansarem de mais essa responsabilidade.

O que as crianças precisam é de pais. Educar é relacionar-se, este relacionamento requer tempo, energia, paciência, negação de si mesmo. E, por outro lado, esta proximidade produz caráter, alegria, equilíbrio, saúde, felicidade. Educar dá trabalho, não seja omisso trabalhe pelo futuro de sua família.

“Os pais estão no lugar de Deus perante os filhos menores.

Têm a responsabilidade de controlá-los e conduzi-los nos Caminhos do Senhor”.

Uma pesquisa realizada em escolas de Belo Horizonte foi citada por Cláudio M. Castro, em um artigo da revista Veja. Esta pesquisa buscou fatores correlacionados ao bom desempenho escolar de alunos de classe social homogênea e interessada em que os filhos recebam a melhor educação possível. O autor diz:

“Dois fatores apresentaram um impacto brutal nos resultados. O primeiro é a atitude dos pais com respeito ao dever de casa. Não é preciso fazer o dever do filho nem mesmo ajudar. O que faz a diferença é o acompanhamento próximo, levando o filho a gastar mais tempo nos estudos.

O segundo fator é a freqüência de conversas entre pais e filhos. A atenção pessoal, a presença e a interação é que diferenciam resultados medíocres de resultados excepcionais. O que faz a diferença é a atenção dos pais para a vida escolar e pessoal dos filhos. E esse conselho serve para todos os pais, pobres ou ricos.”

(Revista Veja. Ed. Abril, 21 de julho, 2004).

E qual é a responsabilidade dos professores? Eles são ajudadores nessa tarefa de ensinar a criança, a andar nos caminhos do Senhor, cumprindo assim a grande comissão de fazer discípulos de Jesus (Mt 28 : 19,20). Para que isso aconteça precisamos trabalhar juntos, unidos neste propósito, tendo como alvo desenvolver um caráter cristão em nossas crianças.

Por isso entendemos que cada um tem o seu papel definido na dinâmica da educação. Salvação e discipulado é um trabalho de parceria entre pais, professores e crianças.

  • Pais: responsáveis pela educação das crianças (Dt 6.7)
  • Professores: apoiadores e apascentadores (Jo 21.15)
  • Crianças: discípulos (Pv 22.6)
  • Missão como igreja: ensinar a Palavra e fazer discípulos (Mt 28.19,20)

“E você deve meditar sempre nestes mandamentos que hoje estou

Ordenando – os quais você deve ensinar aos seus filhos. É preciso

Que você converse sobre estas leis quando estiver em casa, quando

Estiver andando por algum caminho, na hora de dormir e logo ao despertar.”

(Dt 6.6,7 – A Bíblia Viva.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário